31.12.05

A passagem de ano

PROBLEMA 908. Festejar a passagem de ano é como fazer uma cirurgia plástica.

30.12.05

As coisas abstractas

PROBLEMA 907. Que poderemos alcançar com essas conversas àcerca de coisas abstractas que não seja o caminho para outra abstracção? Desconfio, tenho quase a certeza, que prefiro continuar a minha metamorfose nas pequenas coisas da vida. Estou quase lá. Estou quase lá. Mas enquanto não chego vai sendo o cabo dos problemas. Sim, porque se calhar vocês até consideram estas minhas metamorfoses contínuas demasiado abstractas.

29.12.05

Hipnose

PROBLEMA 906. Digitalizar0002
Não consigo fazer outra coisa...

28.12.05

Fora de horas

PROBLEMA 905. garfield

26.12.05

O segredo

PROBLEMA 904. Faz dias que estou a preparar um segredo. A minha mente é um armazém desarrumado de mercadorias de ideias.

24.12.05

o natal

PROBLEMA 903.nightbeforetop2
O Natal traz-me recordações.. e fico triste. Não é bem triste, é outra coisa que não consigo explicar... como se esperasse por alguma coisa.

23.12.05

o ser humano

PROBLEMA 902. "Alguns não conseguem afrouxar as suas próprias cadeias e, não obstante, conseguem libertar os seus amigos" (Nietzsche, Assim Falou Zaratustra).

A foto

PROBLEMA 901. sem título
Olhó passarinho!

22.12.05

Férias

PROBLEMA 900. No palco da minha mente os meus problemas reclamam descanso.

19.12.05

Telemóvel

PROBLEMA 899.Perdi o telemóvel em casa. Que coisa mais estranha. Saber que ele está algures em casa e não saber onde. E o pior é que está desligado.Já o procurei em todo o lado. Onde raio o deixei? Lembrei-me de uma frase antiga: "só não perdes a cabeça porque a trazes agarrada ao pescoço".

18.12.05

A vida

PROBLEMA 898. Vivemos a vida como calha.

17.12.05

Biblioteca

PROBLEMA 897. Revirei metade de uma biblioteca para não encontrar o que procurava.

16.12.05

febre

PROBLEMA 896. Porque é que há dias em que nos sentimos instáveis como um solo vulcânico. Um nada, um pecadilho qualquer é suficiente para nos lançarmos em acessos convulsivos de cólera. Há dúvidas que me enchem de febre...

13.12.05

O torcicolo

PROBLEMA 895. Era uma vez um homem que passava a vida a olhar para trás. Estava tão treinado que a primeira coisa que fazia quando passava por ele uma gaja muito boa era virar as costas e olhar para o cú dela. Morreu com um torcicolo no pescoço. Era uma vez outro homem que perdeu uma partida de snooker graças a um mal jeito no pescoço que o atrapalhou durante o jogo todo.

11.12.05

E se eu fosse um bocadinho de tudo?

PROBLEMA 894. Queres dizer-me que um átomo de oxigénio que entre na minha respiração pode ter saído da boca de Alexandre Magno ou de Cleópatra, ou de Van Gogh ou de Churchill, ou de Kafka ou de um antepassado anónimo qualquer? Queres dizer-me que sou múltiplo, um conjunto de circunstâncias que se converteram neste ser humano? Não fostes tu que escrevestes que o hidrogénio é um gás leve e inodoro que com tempo suficiente se converte em ser humano? Pois. E se eu fosse um bocadinho de todas as coisas? Por vezes tenho a sensação de ter em mim sementes que já germinaram em cérebros alheios, sementes que por sua vez se poderão reproduzir em outras mentes.

10.12.05

Veneza

PROBLEMA 893. Vou voltar a Veneza. Que é como me sinto hoje. A meio caminho entre o mar e a terra. Entre o sublime e o absurdo. Um labirinto onde entro e saio sem conseguir definir um rumo concreto. Estou só à espera de uma vaga no meu pensamento para voltar a Veneza. Nesta altura do ano não é fácil arranjar um cantinho para viajar.

9.12.05

a origem

PROBLEMA 892. a lua o sol os ventos solares os ventos estrelares as atracções magnéticas dos planetas estava no nada infinitamente nulo e tranquilo quando fui perturbado nesse estado formando-se um conjunto de forças para ser lançado no estranho carnaval de energia que bombardeia o planeta todos os dias e por acaso nasci num dia de Carnaval

8.12.05

Esta vida

PROBLEMA 891. "Difícil é combater com o coração: pois aquilo que se deseja paga-se com a vida" (Heraclito)

6.12.05

dormir

PROBLEMA 890. Agora tenho dias sem problemas. Mas não hoje. Há um cansaço específico. Uma noite anterior mal dormida. Ou não dormida. O corpo pesado. (Vou mas é deitar-me). Só que os meus pensamentos reclamam mimo. Querem tagarela, reflexão, divertimento.
(Que aborrecidos, que inoportunos. Logo hoje que estou tão cansado.) Os meus pensamentos não me largam. Pedem, reclamam, exigem! atenção. (Quem me dera a mim agora ficar naquele estado triste em que ficamos empapados depois de apanhar uma molha descomunal). O quê? Que queres dizer com isto? Não entendo estes meus pensamentos, hoje.

5.12.05

A data

PROBLEMA 889. Afinal era fácil a resolução do problema do calendário dos problemas. Das datas que não surgiam no écran. Mas acabei por reparar que os anos vão de 1990 a 2006. Será que o mundo, os problemas vão terminar em 2006?

Estes tempos...

PROBLEMA 888. Os centros comerciais nesta altura do ano assemelham-se àquelas saladas cheias de cor com vários condimentos. São milhares de sapatos, calças, brincos, ganchos, molas, anéis, tee-shirts, livros com capas pirosas, gomas, cabelos pintados de rouxo, roupas com flores, unhas pintadas compridas, blusas e calças pelo tornozelo, ténis brilhantes, umbigos à solta apesar do frio. "Já fizeste as compras de Natal?".

4.12.05

O pinheiro de 26 metros

PROBLEMA 887. Um pinheiro de 26 metros vai iluminar Alverca. A "árvore da esperança", como é denominada, parece que veio da Escandinávia, e foi plantada em frente à Igreja dos Pastorinhos, que conta também com o maior carrilhão da Europa. Quanto a mim digo-vos, e não sei se tem alguma relação com o que foi dito atrás, que sempre achei desnecessário as grandes coisas. Quando é nos pequenos pormenores que as coisas aconteçem.

3.12.05

Mudança

PROBLEMA 886. Não sei se é de propósito, mas não consigo colocar a data dos meus escritos sobre os meus problemas. Antes podia ficar uma semana sem registar nada que depois actualizava. E dava a impressão que mantinha o meu registo diário. Um gosto mesquinho por manter as coisas falsas, dirá a parte mais tenebrosa da minha pessoa. A partir de agora, pelos vistos, será diferente. Não sei se é de propósito - uma intervenção divina, o meu anjo da guarda, que é feito de ti?, ou outra coisa bem mais terrena. Seja lá o que for, mas andava a cogitar faz tempo no dia em que abandonaria o registo diário... - Mas preferia que tudo continuasse como estava. Como sempre. Como em todas as coisas.

As moedas

PROBLEMA 885. As cinco moedas de euro que tenho na carteira reúnem uma particularidade problemática. Quatro delas são estrangeiras, apenas uma é portuguesa.