30.1.06

Campo de concentração

PROBLEMA 929.Abrir o chuveiro e não haver água quente.

27.1.06

O frio

PROBLEMA 928. O Instituto de Meteorologia da Alma Humana prevê que os termómetros desçam de forma acentuada esta sexta-feira, sobretudo nos corações dos mais desprotegidos, e que possam chegar aos seis graus negativos.

O talho

PROBLEMA 927. Para minha grande surpresa, reencontrei-o onde menos esperava: o meu anjo da guarda trabalha agora num talho. Trocou vender remédios para a alma por carne. "Porque a carne anda fraca".

26.1.06

Depende

PROBLEMA 926. Depende é uma palavra inimiga. Depende disto ou daquilo. Depende? Dependência.

25.1.06

As regras do jogo

PROBLEMA 925. "É impossível discutir seja o que for/se se tem razão ou não tem/é totalmente indiferente/ou se aceitam as regras do jogo/ou se muda de vida e de lugar"
Jorge de Sena

os pressupostos

PROBLEMA 924.Se ficarmos prisioneiros do nosso universo de pressupostos como podemos entender outros universos? Há por aí uma grande incomunicabilidade. Universos que se incompatibilizam.

22.1.06

A propósito das eleições

PROBLEMA 923.

“não quero ser triste
como o poeta que envelhece
lendo maiakóvski na loja de conveniência
não quero ser alegre
como o cão que sai a passear com o seu dono alegre
sob o sol de domingo
nem quero ser estanque
como quem constrói estradas e não anda
quero no escuro
como um cego tatear estrelas distraídas”
Casa minha – Zeca Baleiro

21.1.06

Os guarda-chuvas

PROBLEMA 921. Tenho saudades da chuva. Da chuva a sério. De perder guarda-chuvas. Comecei a namorar debaixo de um deles.

PROBLEMA 922.
- Pai, quando não chove é porque as nuvens estão doentes?

20.1.06

Estados de espírito

PROBLEMA 920.

19.1.06

Ainda o caminho

PROBLEMA 919. "Andar em frente até às zonas que nenhum chamamento alcança, abertas todas as fronteiras, e nada consegue deter o caminhante, ninguém o ultrapassa, ninguém vem ao seu encontro, os deuses não correm à sua frente, e ele não se cruza com o elemento animal, o seu pé avança liberto de ambos, mas a direcção para a qual avança é a da consolação e da confiança, é a da necessidade, é a do deus. Seria assim? Não haveria, de facto, nenhuma direcção contrária? Não virá, apesar de tudo, alguém na direcção contrária à procura do elemento animal?" (A Morte de Virgílio, Hermann Broch)

O caminho

PROBLEMA 918. "O que procuramos está submerso, e não o podemos procurar, porque na sua qualidade de insondável apenas zomba de nós" (A Morte de Virgílio, Hermann Broch)

A variável

PROBLEMA 917. Só que de repente...

10.1.06

A escola

PROBLEMA 916. "Estás a gostar?". Pela maneira como olhava para o pai era como se estivesse a dizer: "a escola é uma conspiração fomentada pelos adultos para se verem livres das crianças durante algum tempo e puderem ir conspirar para outro lado a troco de um salário mensal".

Mentes inquietas

PROBLEMA 915. As confissões dos outros numa viagem de comboio não me largam. Sujeito-me a ouvi-las todos os dias.
- Sinto-me cansado demais para dormir.
- Eu sei mas não sei como sei.
- Vou-me transformar em quem sou.

Duas almas

PROBLEMA 913.
"(...) Em primeiro lugar, não há uma só alma, há duas...
- Duas?
- Nada menos de duas almas. Cada criatura traz duas almas consigo: uma que olha de dentro para fora, outra que olha de fora para dentro... Espantem-se à vontade; podem ficar de boca aberta, dar de ombros, tudo; não admito réplica. Se me replicarem, acabo o charuto e vou dormir. A alma exterior pode ser um espírito, um fluido, um homem, muitos homens, um objecto, uma operação. Há casos, por exemplo, em que um simples botão de camisa é a alma exterior de uma pessoa; - e assim também a polca, o voltarete, um livro, uma máquina, um par de botas, uma cavatina, um tambor, etc. Está claro que o ofício dessa segunda alma é transmitir a vida, como a primeira; as duas completam o homem, que é, metafisicamente falando, uma laranja. Quem perde uma das metades, perde naturalmente metade da existência; e casos há, não raros, em que a perda da alma exterior implica a perda da existência inteira. (...)"

Machado de Assis, O Espelho..., Um Homem Célebre - antologia de contos

PROBLEMA 914. Foi quando ele viu a criança que em tempos fora irromper pela sala do adulto em que se transformara

7.1.06

Procrastinação (continuação)

PROBLEMA 912. Um dia destes vou acabar com os meus problemas.

Procrastinação

PROBLEMA 911. Procrastinação é o estado em que se encontram os meus problemas.

3.1.06

O olhar

PROBLEMA 910. Dei hoje pela falta do meu olhar. Lembrei-me que o deixei num terraço de um hotel em Lisboa. Tenho de arranjar tempo para ir buscá-lo. Se ele ainda lá estiver. Alguém pode tê-lo levado.

1.1.06

Um problema

PROBLEMA 909. Lambuzei a boca, beijei boca, apalpei coxa, toquei peito, embriaguei-me, mais uma para o caminho, falei com os objectos, vi livros e cd’s desenfreados pelo chão da sala, li Nietszche. E nada resolveu. O fim de ano não é o fim do tempo. Nem o fim do mundo. Afinal, não andamos nesta vida em linha recta. Chegou o tempo das borboletas. Tenho um problema para resolver.