28.4.06

memória

PROBLEMA 988. Descubro tantos anos depois que esta série, afinal, marcou-me para o resto da vida. Porque raio de acaso fui vê-la outra vez?
strogof

a lavandaria

PROBLEMA 987. Houve uma troca qualquer na lavandaria, ai isso houve. Tenho duas camisas, tenho quase a certeza que não são minhas. São parecidas, mas parecem-me estranhas. Ou então estão a ficar gastas...ou então estou eu a ficar usado de mais.

Insónia

PROBLEMA 986. Só quando o gato adormece é que o rato pode brincar.

18.4.06

O beijo

PROBLEMA 985. Os lábios de uma japonesa diferem dos lábios de uma escandinávia. Mas o beijo é o mesmo.

O absurdo

PROBLEMA 983.Tudo se passa como se o gato me tivesse comido a língua e voltasse de noite para me sussurar palavras ao ouvido enquanto durmo. Por isso tenho uma voz aqui dentro que não se cala. E que inventa. Porque não tem nada para contar.

PROBLEMA 984. Quase a dar por encerrado os meus problemas, ou os meus problemas a darem-me por encerrado, não sei, é que descubro que a única coisa que resta em mim é uma voz que fala, sem identidade e sem determinação de espaço e tempo. Sou, por isso, um débito de palavras infinito na lógica gigantesca que é o monólogo do universo

13.4.06

A mosca

PROBLEMA 982. Sou vítima das moscas. Elas reconhecem-me e preferem-me. Caíu uma no meu uísque. Retirei-a minuciosamente com a ajuda de um colher de chá. Para meu espanto ela sobreviveu e voltou a voar. Vou encher outro copo de uísque. Pode ser que me aconteça o mesmo que à mosca. Volte a voar.

Diálogos cruzados

PROBLEMA 981.
- A minha vida é um comboio.
- Uma viagem interior.
- Uma voz que chega até mim.
- A vida é uma estação.
- É difícil definir o clima neste meu País. Tenho as quatro estações do dia dentro de mim.
- Este ano não sei onde vou. Ainda não decidi.
- Espera por mim numa passadeira vermelha.
- Inclino-me para uma explicação para isto.
- O segredo é ter boas parcerias.

Que dia é hoje?

PROBLEMA 980. O respeito pelas datas, pelo correr do tempo, desaparecia-lhe da mente nos momentos em que se sentia alegre e festivo, com a impressão de liberdade absoluta, de poder fazer o que lhe bem apetecia. E por isso perguntava, com frequência: "Que dia é hoje?". Cada vez menos era assim.

4.4.06

Os segredos

PROBLEMA 979.
- Que tens nos bolsos?
- Segredos.
- Mas que pode esconder um homem nos bolsos?
- Segredos.
- E se os bolsos estiverem rotos?
- Lá se vão os segredos.
- Queres que te coza os bolsos?
- Para quê?
- Para não perderes os teus segredos.
- Perco-os à mesma.
- Como?
- Segredo.

Bolachas Maria

PROBLEMA 978.Comer uma, duas, três bolachas Maria antes de adormecer.